Primeiro Centro de Visitação do Projeto Albatroz no Brasil será em Cabo Frio (RJ)



Sede ficará ao lado do Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças, às margens da Lagoa de Araruama


Cenário repleto de belezas naturais, Cabo Frio, na Costa do Sol do Rio de Janeiro, vai ganhar o primeiro Centro de Visitação e Educação Ambiental Marinha do Projeto Albatroz no Brasil, iniciativa patrocinada pela Petrobras. Presente em sete cidades do país, o Projeto Albatroz desenvolve pesquisas e ações de educação ambiental ao lado de pescadores, jovens e escolas. A unidade de Cabo Frio será a primeira a ter o Centro de Visitação, que promete ser também um novo atrativo turístico.


As obras começaram em outubro e a previsão é de que a sede seja entregue até o final de 2022. Com área útil de mais de 18 mil m², o centro ficará ao lado do Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças, um dos cenários naturais mais encantadores da região, às margens da Lagoa de Araruama.


O Centro Albatroz terá áreas de recreação, pavilhões de exposições e atividades com o público, prédios com salas para aulas e oficinas com a comunidade, além de Centro Interpretativo com trilha autoguiada, em que os visitantes poderão conhecer mais a região da lagoa e reconhecer as principais espécies de aves que sobrevoam a região.


A cidade foi escolhida para abrigar o centro por ser um local onde, naturalmente, os albatrozes chegam mais perto da costa, não sendo preciso navegar por centenas de quilômetros mar adentro para apreciá-los. “A região é estratégica para o nosso trabalho. É uma área pesqueira importante e, oceanograficamente rica, da qual os albatrozes se aproximam e são mais facilmente avistados do que em qualquer outro ponto do país, explica a fundadora e coordenadora geral do Projeto Albatroz, Tatiana Neves.


“É uma honra para Cabo Frio receber o primeiro Centro de Visitação do Projeto Albatroz. O espaço terá importância não somente como um novo produto turístico e um belo atrativo natural, cultural e de educação ambiental, mas também como uma poderosa ferramenta de divulgação e conscientização da necessidade da preservação da nossa natureza”, comemora Maria Inês Oliveros, presidente do Cabo Frio Convention Bureau.


“Ao fundar o Projeto Albatroz, meu sonho era aproximar essas aves que vivem em alto-mar do público geral, e uma parte fundamental disso é a sensibilização em prol da conservação marinha. O Centro Albatroz de Cabo Frio terá ferramentas artísticas e tecnológicas que envolverão os visitantes neste universo”, completa Tatiana Neves.


Projeto Albatroz

O Projeto Albatroz nasceu em Santos, litoral paulista, e desde 1990 trabalha pela conservação das espécies de albatrozes e petréis que se alimentam em águas brasileiras. Desde 2014, o Projeto mantém uma base avançada de pesquisa na Universidade Veiga de Almeida (UVA), no campus de Cabo Frio. Por meio da parceria com o Grupo de Estudos da Pesca (GEPesca), coordenado pelo professor Eduardo Pimenta, foi possível ampliar os estudos na cidade. Atualmente, o Projeto mantém bases de pesquisa em seis estados brasileiros.


Atualmente, o Projeto mantém bases nas cidades de Santos (SP), Itajaí e Florianópolis (SC), Itaipava (ES), Rio Grande (RS), Cabo Frio (RJ) e Natal (RN).


Dormitório das Garças

O Parque Natural Municipal Dormitório das Garças é mais uma das belas atrações ao ar livre e em contato com a natureza de Cabo Frio. Um deck de 300 metros de extensão percorre todo o parque, ligando o pórtico de entrada ao dormitório, em meio à vegetação típica de mangue e à Lagoa de Araruama, onde tem início o Canal do Itajuru.


O parque foi criado em 2001 e representa um ecossistema de manguezal de importância especial, uma vez que está situado no início da maior laguna hipersalina do planeta. A unidade abriga uma população de cerca de 1.400 garças brancas, além de mais de 40 espécies de aves.


O dormitório pode ser visitado diariamente, das 9h às 17h. De segunda a sexta, o acesso é pelo pórtico (Av. Wilson Mendes, 837) e, nos finais de semana, pela pequena entrada ao lado do portal.